Nossa História


A Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII, instituição filantrópica e comunitária com tradição de 58 anos de serviços prestados à população carente de Passo Fundo. Foi criada em 25 de março de 1960, sob a liderança de Dom Cláudio Colling. Inicialmente, foi incumbida de distribuir os alimentos vindos dos EUA.
A distribuição pura e simples de alimentos, preocupou os dirigentes, pois, poderia gerar o vício do assistencialismo. Por isso, foram instalados cursos profissionalizantes, sendo que, o primeiro foi o de bordado industrial.
Em 1962, cursos de funilaria, sapataria, marcenarias e corte costura.
Em 1963-1964, o curso de arte culinária, malharia, cabeleireiro e manicure.
Em 1965, foram desenvolvidas atividades de horta comunitária e a Leão XIII teve destacada atuação no socorro às vítimas da enchente e neve.
Após um período de muitas dificuldades, em 1972, a recém-criada Cáritas Diocesana assumiu a incumbência de dirigir e reestruturar a Leão XIII, tendo na coordenação geral o Pe. Osvino, nomeado em 7 de junho de 2006, pelo Santo Padre Bento XVI Arcebispo  Dom Osvino José Both, Arcebispo Militar do Brasil.
Em 1974, criação do Centro de Juventude, pois as estatísticas da época contavam um número preocupante de crianças e adolescentes nas ruas. Paralelamente a isso, foi elaborado um ousado projeto de construção de uma Escola Profissionalizante, junto à Misereor e governo alemão. Originou-se, a partir daí a decisão por uma mudança metodológica importante: o atendimento preventivo das crianças e dos adolescentes na sua própria Vila. Decidiu-se criar Centros de Juventude nos maiores bolsões de miséria da cidade. Após os 14 anos, o adolescente passa a ser encaminhado para um dos cursos profissionalizantes.
Em 1976, inaugurado o Centro de Juventude I - Vila Victor Issler, em 1978, o Centro de Juventude II, na Vila Bom Jesus. Em 1980, inaugurado o Centro de Juventude III, na São Luiz Gonzaga.
Em 1981, lançada a campanha de apadrinhamento de crianças e no mesmo ano, com a mesma finalidade, foi criada na Alemanha, a Kinderhilfe e.V. Passo Fundo.
Em 1981, a Leão XIII assumiu as Creches Rita Sirotsky e Berço da Esperança, iniciando o atendimento na educação infantil.
Em 1983-1984, em mutirão com os moradores, foi construído o Centro de Juventude IV, na Vila Ipiranga, inaugurado no ano seguinte.
Em 1986, surge o Centro de Juventude José Alexandre Záchia, no recém-formado núcleo habitacional PROMORAR.
Em 1987, foi firmado convênio com a Universidade de Passo Fundo - UPF - Faculdade de Medicina, para o atendimento médico em clínica geral e especializado, sendo que o Ambulatório Central, junto ao Pronto-Socorro da UPF, foi todo reformado com recursos da Kinderhilfe.
Em 1988, foi firmado um novo convênio com a Universidade de Passo Fundo - UPF - Faculdade de Odontologia, sendo criada a Clínica Extramuros Leão XIII, composta de 10 equipes.
Em 1989, inaugurada Escola Agrícola Santo Antão visando à formação de técnicos em agropecuária. Atualmente, parte da estrutura está cedida para a Fazenda da Esperança Feminina.
Em 1995, o Centro de Juventude Bom Jesus foi transformado em Creche, aumentando o número de atendimentos na educação infantil.
Em 2003, a Escola Profissionalizante passou a denominar-se Centro de Educação Profissional Leão XIII - CEP Leão XIII, quando passou por uma profunda reforma e ampliação, incluindo também a criação da Unidade II, nas dependências do antigo Quartel do Exército, passando a oferecer mais de 20 cursos profissionalizantes, aproximadamente, 900 vagas por semestre.
Em 2009, em razão de nova legislação, alterou seu nome para Centro de Educação Sócio Profissional Leão XIII – CESP, oferecendo mais de 25 opções de cursos.
Em dezembro de 2016, foram encerradas as atividades nas Escolas de Educação Infantil Rita Sirotsky, que foi assumida pelo município e a Escola de Educação Infantil Berço da Esperança, que foi transformada em Centro de Juventude e passou a ser chamado de Centro Artístico e Cultural Leão XIII – CAC Leão XIII, que encerou suas atividades em julho de 2017. Também neste mesmo ano, a Instituição terminou o projeto Viver que era atendido no CIEP Volmar Saltom, por falta de recursos.
Em 2018, a instituição encerrou as atividades das Escolas de Educação Infantil Berço da Esperança e Bom Jesus no período de março a setembro e do CESP no mês de agosto, priorizando os atendimentos de assistência social, com os projetos desenvolvidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
Em 2019, reiniciaram as atividades no Centro de Juventude Bom Jesus, com atendimentos de crianças e adolescente bem como suas famílias nos Serviços de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos.